12/08/2010

lenço Hermès


Ele é sinônimo de elegância no mundo inteiro, qualquer que seja a época.
Graças aos seus desenhos feitos à mão e minuciosamente coloridos, os carrées contam histórias, tradições e culturas em um delicado pedaço de seda.

Tudo começou em 1937, quando ao observar uma linha de ôninus parisiense, Robert Dumas, então diretor da Hermés, inventou o primeiro lenço da marca. Batizado de Jeu des Omnibus ed Dames Balncehs, o quadrado (carré, em francês) de seda tinah 90 centímetros.








Em 1947, a marca Sela fez uma parceria com o ateliê de Lyon (França), para produzir os lenços por meio de um processo artesanal. Os ilimitados testes feitos por coloristas resultaram em 10 combinações, para cada exemplar - até hoje já foram feitos 1,5 mil desenhos.

No ano de 1957, Robert Dumas, aficionado do rigor que a seda exige e na busca do traço perfeito, passa a convidar especialistas para executar a tarefa. Entre os temas marcantes, Brides de Gala, do artista francês Hugo Grykar.

Em 1980, pela primeira vez, a marca cria um modelo que foge do tamanho padrão. Com o tecido plissado, a novidade chamada de Plissé (nome óbvio hehehe) ganha novas maneiras de usar e um efeito de caleidoscópio no desenho (foto abaixo).

Aspecto social: Em 2009, A Hermès e a Federação Internacional dos Direitos Humaos fecham um acordo. A atriz francesa Jane Birkin, eternizada pela grife em uma linha de bolsas, é convidada a dar novos traços ao lenço Perspective, de 1951. Vendia no site da fundação, www.fidh.org, a peça terá parte da renda revertida para a mesma.

Eis algumas estampas bem tradicionais:





Modelo plissado:

Estampas mais atuais:



Interessou, mais em hermes.com.

E aí?
Tradição e nome, justificam o preço elevadíssimo (de $305 a $720) ????

Beijos,



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Palpite aí: